Review | Parasol Stars: The Story Of Bubble Bobble III

2 semanas atrás • Nintendo Boy • Via CoelhoNews.com: Seu agregador de notícias Nintendo
Desenvolvedora: TAITO
Publicadora: ININ Games
Gênero: Plataforma, Arcade
Data de lançamento: 11 de Julho, 2024
Preço: R$ 49,99
Formato: Digital

Análise feita no Nintendo Switch com cópia fornecida gentilmente pela ININ Games.

Revisão: Davi Sousa

Em mais um capítulo da sua ação de relançamento de joias perdidas da Taito, a ININ Games nos traz Parasol Stars: The Story Of Bubble Bobble III. Lançado originalmente em 1991, no game controlamos Bubby e Bobby em uma jornada interplanetária para ajudar seus vizinhos de outros planetas. Será que uma aventura de heróis tão altruístas resistiu ao tempo a ponto de ser interessante para os atuais jogadores?

Uma aventura de tempos mais simples

Parece que foi ontem que o pequeno André tirava da caixa aquele console quadrado engraçado que vinha com um jogo de um cara de bigode com roupa de texugo. O NES tinha toda uma aura diferentona: além do formato peculiar, o cartucho era encaixado de forma horizontal (talvez para ter uma semelhança com aparelhos de VHS?), diferente de seus clones que lotaram o país, que se encaixavam verticalmente.

Nessa época, eu pouco me importava com o lore da série, como aquele jogo levaria as mecânicas para um novo patamar, vendas e se o lucro gerado com o título fariam com que um novo game da série estivesse garantido no futuro. Era uma época na qual eu não tinha acesso a revistas, tendo que confiar que os jogos que meus pais estavam comprando para mim eram tão bons quanto a capa os fazia parecer.

Havia duas preocupações ao chegar em casa: a primeira delas é saber se o cartucho estava funcionando ou não; a segunda e não menos importante era saber se a gameplay era divertida. Mas então, nenhum jogo da era 8-bits se preocupava com narrativa? Longe disso: essa foi a geração na qual títulos como Final Fantasy e Metal Gear nasceram, mas o mais importante era a gameplay e o quão divertida ela seria para te prender.

Parasol Stars: The Story Of Bubble Bobble III se enquadra bem no quesito de “estou aqui pela gameplay”. Não existe uma grande narrativa envolvendo uma profecia ancestral feita por um sábio marciano que dizia “Aqueles que empunham guarda-chuvas devem proteger os indefesos do mal e blablabla”. O jogo começa, é mostrado de forma bem breve que alguém pede ajuda e que você vai lá dar uma moral, só isso.

Com o passar das fases, você encontra um boss; ao derrotá-lo, você prossegue para outro planeta que necessita do seu auxílio. Esse é o loop de gameplay. A única arma disponível é o seu guarda-chuva, que serve para se proteger dos projéteis inimigos, atordoá-los e lançá-los. Ele pode ser manuseado para esquerda, direita e para cima; não é possível usá-lo em direção ao chão, nem para se proteger, nem para atacar.

Eventualmente, surgem alguns poderes temporários e bônus. Nos primeiros estágios, eles são bem opcionais, use-os ao seu bel-prazer. Porém, nos mundos finais será imprescindível entender as mecânicas que eles agregam ao jogo, então criar intimidade com o seu uso é aconselhável para saber exatamente como derrotar os inimigos em certos estágios sem bugar a mente. Cada mundo possui uma estética e desafios diferentes, sendo os primeiros bem fáceis e escalonando bastante nos mais avançados.

Se você quer uma experiência mais “crua”, jogue no modo Arcade, que possui apenas uma quantidade grande de continues, mas sem nenhuma das facilidades modernas. Já no modo Standard, o jogador conta com save state e a possibilidade de retroceder o game caso tenha feito uma grande besteira ou queira acelerá-lo porque queria avançar o tempo por algum motivo.

Zerou o game no modo arcade e ainda assim quer uma experiência mais desafiadora? Existem desafios para um ou dois jogadores. Tá achando tudo muito complicado mesmo com as assistências? Ainda é possível colocar cheats (os famosos macetes) para deixar a experiência ainda mais casual.

Você não é todo mundo e os jogos também não

Acho que não existe criança na face da Terra que nunca ouviu essa frase dos pais e, com a maturidade, fica cada vez mais difícil de refutá-la. Assim como nós, seres humanos, os jogos atendem a certos tipos de público. Por mais que o departamento de marketing das empresas queira que até sua avó jogue Fire Emblem, não é bem assim que a banda toca. Um produto que atende a todos acaba não atendendo a ninguém e se torna algo genérico, como aqueles formulários de pesquisa de satisfação.

Parasol Stars: The Story Of Bubble Bobble III é voltado àqueles que prezam por uma gameplay divertida sem que você precise se debruçar por horas em builds ou uma lore que já supera a sua dezena de anos. Jogue sozinho ou em co-op local e se desafie, pois o jogo não te pega na mão para explicar nada, como em tempos longínquos. Se esse tipo de produto lhe atende, invista suas golden coins nele.

Minha única ressalva com esse lançamento não é algo sobre o game em si, mas a sua roupagem. Os menus em alguns desses ports são bem bem genéricos e não casam em nada com a estética dos jogos. Algo de que também sinto falta são artes conceituais do jogo ou pequenos vídeos de produção, caso existam. Esses detalhes agregariam ainda mais valor ao título, mas esse papo aqui é para uma outra hora. Boa jogatina a todos!

Prós:

  • Visualmente agradável;
  • Jogabilidade divertida;
  • Possui co-op local;
  • Funções de acessibilidade.

Contras:

  • Menus péssimos;
  • Falta de conteúdo de produção.

Nota:

7

O post Review | Parasol Stars: The Story Of Bubble Bobble III apareceu primeiro em NintendoBoy.

Continue Lendo

Você pode gostar também
Cover Image for BGS 2024 – Atores que interpretaram Michael e Franklin em GTA V participarão do evento

BGS 2024 – Atores que interpretaram Michael e Franklin em GTA V participarão do evento