Review | Endless Ocean Luminous

4 dias atrás • Nintendo Boy • Via CoelhoNews.com: Seu agregador de notícias Nintendo
Desenvolvedor: Arika
Publicadora: Nintendo
Gênero: Aventura subaquática
Data de lançamento: 02 de maio, 2024
Preço: R$ 249,99
Formato: Digital/Físico

Análise feita no Nintendo Switch com cópia fornecida gentilmente pela Nintendo.

Revisão: Marcos Vinícius

Depois de um grande hiato, a clássica franquia de  aventura subaquática Endless Ocean, lá do Wii, dá as caras novamente. Desenvolvido pelo estúdio Arika e lançado no dia 02 de maio, Endless Ocean Luminous, tal qual seus antecessores, nos permite explorar as profundezas do oceano em busca de tesouros e de vida marinha.

O foco é no colecionismo e na catalogação de tudo que é encontrado no fundo do mar. Não há perigos ou dificuldades. Nadar lado a lado com um gigante Tubarão Branco — e tirar altas fotos no processo — nunca foi tão seguro. Endless Ocean Luminous é um jogo com uma experiência relaxante e puramente contemplativa, que de forma lúdica nos ensina um pouco sobre os segredos do oceano.

Escaneando a vida marinha

Em linhas gerais, Endless Ocean Luminous possui quatro modos de jogo: um modo história, um modo com eventos sazonais (Event Dives) e dois modos de exploração livre, sendo que um é local (sem tempo pré-determinado) e o outro online (com tempo pré-determinado).

No modo online, até 30 jogadores se juntam à exploração do oceano. Esse eu acredito ser o principal modo, senão o mais interessante. Todas as descobertas podem ser compartilhadas, indicando um tesouro ou um peixe raro, através de marcadores customizáveis. Nossa missão, nessa aventura submarina, consiste em escanear o máximo da vida marinha e encontrar tesouros, artefatos e bugigangas. No cooperativo online o jogo acrescenta ainda alguns desafios que tornam a exploração mais interessante.

Existe, no entanto, uma trava burocrática nesse modo que nos impede de aproveitar melhor o jogo. Primeiro que só podemos entrar em salas públicas aleatórias com jogadores do mundo todo, sem quaisquer tipos de filtros territoriais; ou buscar/criar uma sala privada através de um código específico (Session ID) que deverá ser compartilhado com os amigos que desejem participar da exploração submarina. A ausência de um chat de voz integrado também é um problema.

Mas isso, infelizmente, é demérito do Nintendo Switch e não do jogo em si. Digo isso porque a comunicação é algo essencial para otimizar a exploração em Endless Ocean Luminous. O mapa possui coordenadas que poderiam ser utilizadas para definir estratégias com cada membro da party cobrindo um setor específico.

Explore e catalogue

Entre animais extintos, fictícios e atuais, existem mais de 550 espécies. Cada animal descoberto possui uma biografia que nos permite aprender um pouco mais sobre aquela espécie, apresentando o seu nome científico e demais curiosidades, daí o caráter lúdico que citei acima.

Todo animal catalogado pode ser acessado pelo menu. Infelizmente, o jogo não conta com uma localização para o nosso idioma, o que é uma pena! Já que acredito que o jogo é ótimo não só para marmanjos saudosistas da vida marinha, mas também para os jovens e pequenos exploradores, que poderiam dispor das informações presentes no jogo para aprender.

Catalogar a vida marinha e os “tesouros” do fundo do mar, nos garante pontos de experiência que aumentam o nosso nível e uma espécie de moeda fictícia que podemos utilizar para a aquisição de itens puramente cosméticos. Esses itens permitem a customização do nosso personagem e perfil como um todo. Mas, não espere algo muito sofisticado.

A gente consegue apenas mudar a cor da roupa do mergulhador, comprar algumas reações e poses novas e olhe lá. Nem escolher o gênero do personagem podemos. Subir de nível amplia também a possibilidade de convidarmos animais marinhos, cada vez mais raros e maiores, para nadar conosco. Alguns dos objetivos sazonais do online, por exemplo, consiste em conduzirmos certas espécies para pontos específicos do mapa.

Um jogo de “mar aberto”?

O avançar do modo história está condicionado à quantidade de criaturas que escaneamos, tendo um roteiro bem raso (sacaram o trocadilho?) como fio condutor. O primeiro capítulo, no entanto, funciona como um curto (e desnecessário) tutorial, apresentando as mecânicas básicas de Endless Ocean.

A progressão, nesse modo, é lenta e os capítulos curtos demais, tornando-os desinteressantes. É nesse modo que podemos enxergar certa dificuldade no jogo. Não pelo desafio em si, mas pela demora em conseguir a quantidade de escaneamento necessários para avançar pelos outros capítulos.

Endless Ocean Luminous não é um jogo de “mar aberto”. A área que podemos explorar possui limitações, apresentando paredes invisíveis, que indicam aonde podemos ou não ir. Da mesma forma, não existe a possibilidade de emergir. Toda a aventura, portanto, se situa no fundo do mar, dentro de uma área delimitada.

O visual, apesar de não ser muito detalhado, é bem legal e nos dá a sensação de estarmos, de fato, submersos. Na verdade, os efeitos sonoros e a trilha, que de vez em quando dá as caras, ajudam em nossa imersão. O título, grosso modo, apresenta um bioma interessante, apesar de simples, formado por corais, criaturas marinhas das mais diversas, navios naufragados, cavernas escuras e por aí vai. O design de peixes, baleias, tubarões, entre outros, são bem fiéis à sua contrapartida no mundo real.

Um álbum de figurinhas virtual

Endless Ocean Luminous é um jogo para desestressar, explorar e aprender. O escopo é pequeno e a pegada contemplativa, pensada para aquele jogador colecionista. Não espere, portanto, nada além disso.

Fazendo um paralelo com algo que existe dentro do próprio Switch, imaginem um Pokémon Snap — sem Pokémon, óbvio — com uma exploração livre, ao invés de on-rails. O legal do título é completar a lista de peixes, tubarões etc. É como se estivéssemos com um álbum de figurinhas virtual do mundo marinho.

Pros:

  • Exploração da vida marinha;
  • Ótimo censo de colecionismo;
  • Controles simples;
  • Modo online para até 30 jogadores.

Contras:

  • Sem localização PT-BR;
  • Modo história problemático;
  • Burocracia na criação de salas privadas no modo online.

Nota Final

7

O post Review | Endless Ocean Luminous apareceu primeiro em NintendoBoy.

Continue Lendo

Você pode gostar também
Cover Image for Entrevista com Beatriz Góis, premiada cosplayer amante de jogos da Nintendo

Entrevista com Beatriz Góis, premiada cosplayer amante de jogos da Nintendo

Cover Image for GRID Autosport — Uma das poucas opções simcardes do Switch

GRID Autosport — Uma das poucas opções simcardes do Switch

Cover Image for Lançamentos físicos da semana que termina em 25/Mai – Paper Mario: The Thousand-Year Door, Castle of Shikigami2 e mais

Lançamentos físicos da semana que termina em 25/Mai – Paper Mario: The Thousand-Year Door, Castle of Shikigami2 e mais